segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Ceia vegana de Natal.


As pessoas costumam ser pouco criativas em suas ceias natalinas, normalmente todos querem ingerir gorduras, carnes e muitos doces.
Infelizmente, os animais não humanos continuam a "participar" de tristes banquetes como pratos principais; as pessoas (paradoxalmente) se unem para comemorar o nascimento de Jesus, alimentando-se dos despojos mortais oriundos da matança inescrupulosa de milhares de vidas.
Como, sabiamente, escreveu o saudoso compositor Renato Russo: "...vamos celebrar a estupidez humana...", não é minha gente?
No entanto, alternativas saudáveis, práticas e baratas para uma verdadeira Ceia Natalina não faltam, basta vontade e amor para cozinhar sem crueldade e com fraternidade.
Neste Natal, nossa ceia foi totalmente vegana, o cardápio foi: Sojalhau, Shimeji na Moranga e um esperto arroz branco. Tudo acompanhado por um honesto vinho italiano.
A sobremesa foi um manjar de coco vegano com calda de ameixas ou frutas natalinas - para não abusar muito da dieta.
O Shimeji na Moranga foi feito com Tofupiry e ficou muiitooo saboroso; o sojalhau também ficou bem especial, só faltou a couve, que esquecemos de comprar.
A receita do "Sojalhau" foi adaptada da original e centenária Bacalhoada de minha avó lusitana - ora pois! - que usa batatas, vinagre, couve, cebola, azeitonas pretas e azeite extravirgem.
No nosso Sojalhau, usamos algas Nori e Kombu para acentuar o gosto de mar e salgamos a soja (deixamos de molho e um dia para o outro com água e sal) para completar o gostinho.
Muitos podem perguntar, mas para que imitar o prato cruel? Será que você tem vontade de comer bacalhau?
A resposta é não!!!
Não tenho vontade nenhuma de comer animais mortos, oque tentamos fazer é testar receitas e ajudar as pessoas carnívoras na transição entre o carnivorismo e o vegetarianismo, mostrando que, oque dá o sabor aos alimentos, são os temperos e a forma de preparo de cada prato.
Podemos e devemos viver sem a matança de animais para a nossa alimentação, a falsa idéia imposta pela indústria da carne - e de muitos médicos lobistas - de que precisamos dela para viver é uma mentira desmedida e tendenciosa, e a verdade, tardiamente, está aparecendo.
A alimentação carnívora é a porta de entrada para todas as doenças humanas, é o motivo de tanto sofrimento em hospitais pelo mundo afora. Quem se alimenta de dor não pode deixar de sofrer também!
Por isso, queridos, mais criatividade no próximo Natal e nas demais festividades, e se puder, alimente-se criativamente durante o ano inteiro, sua saúde, o planeta e os animais não humanos agradecem!
Chega de impor dor aos animais, mêu! Estamos no século XXI, não tem mais desculpas!
Oque falta é vergonha na cara, minha gente!
Abs.

* Tofupiry - Receita no livro Cozinhando Sem Crueldade
**Variação da receita: Marcus Tadeu Paro.
*** Letra da música Perfeição de Renato Russo

RECEITAS DE ALIMENTOS ÉTICOS PARA A CEIA DE NATAL:
www.gaia-veg.blogspot.com
www.becodosgatosgourmet.blogspot.com

Um comentário:

  1. Tudo é fabuloso nas receitas veganas, a unica coisa que nao dá pra engolir é a desculpa forçada de nao "comer animais mortos". Fala-se isso com um ar de nojo infantiloide. Mel, ovos, leite (e derivados) nao pode porque?
    Plantas mortas pode-se comer? As plantas apodrecem tanto quanto animais. Ter nojo de animais é ignorancia. Se é pra falar "animal morto" eu falo "comer batata ou alface, que ficam crescendo na terra suja, cheio de insetos, bacterias, mijo de animais..." - nao é nojento tambem, quando visto dessa forma?

    ResponderExcluir